Matérias

Paixão pela música

Everton Hoffmann, mais conhecido como Alemão, se apaixonou pelos instrumentos ainda na infância e não pretende largá-los tão cedo

01/01/2018 Artistas Carolina Padilha Alves

Dos trinta e dois anos de vida de Alemão, todos foram vividos com muito amor e paixão pela música. Seu primeiro contato foi com a gaita, já que seu pai era acordeonista profissional e seu irmão baterista, os quais sempre faziam ensaios em casa, além de grande incentivo de sua mãe e irmãs. Participando do CTG Porteira do Rio Grande desde os oito anos de idade, onde foi gaiteiro por muito tempo, sua iniciação musical se deu em meio ao nativismo e seu interesse por outros instrumentos, como violão e baixo, acabou florescendo.

 Com apenas quinze anos, o nosso instrumentista já tocava bailes e, pouco tempo depois, já estava rodando o estado como integrante do Grupo Candieiro. “Esse período da minha vida foi responsável por me colocar em contato com muitas pessoas do meio, que me ensinaram lições inesquecíveis em todas as cidades que toquei”, relembra. Além dos instrumentos, Alemão desenvolveu o canto naturalmente, que ajuda e complementa em suas apresentações.

Apesar da veia tradicionalista pulsante, Alemão sempre teve ouvido para outros estilos musicais, como rock and roll, MPB e jazz. Ao voltar para Vacaria depois de morar fora por um tempo, firmou sua vida aqui e reuniu alguns amigos para tocar os demais gêneros musicais pelos quais é apaixonado.

“Hoje a música tornou-se secundária pois, assim como para outros músicos, é difícil sobreviver somente de arte. Sigo em outra profissão, mas toco na noite por amor ao som e por possibilidade de conviver com pessoas extremamente talentosas como o Ricardo Rosa, o Cassiano Paim, o Uiliam Michelon, entre tantos outros”, comenta.

Além de tocar e cantar, Alemão usa seu tempo livre para estudar a música, ler sobre seus cantores e bandas favoritas e analisar o aspecto histórico de cada gênero. Ele ainda se preocupa em passar seu conhecimento para sua filha Isadora, de oito anos, que já demonstra ter aptidões artísticas e interesse pela arte como um todo.

“A música é capaz de unir povos, de emocionar grandes massas e está presente em todos os lugares do mundo. É impressionante o poder e a fascinação que ela causa nas pessoas. Sou um músico verdadeiramente apaixonado”, diz Alemão.

Com muito caminho pela frente, esse talento vacariano ainda pretende absorver ao máximo a música e seus benefícios. Viajar pelo mundo, conhecer pessoas e maneiras diferentes de fazer som e sentir o que cada melodia quer passar, são alguns dos objetivos que ainda almeja alcançar.

 

COMENTÁRIOS



Últimas

Do lixo, o sustento Especiais

Só a foto retém o tempo Empreendedorismo

Higiene e limpeza Publieditoriais

Para todos os gostos Publieditoriais

Uma caminhada de sucesso Publieditoriais



Caieruff

O conteúdo das ofertas é de responsabilidade exclusiva de seus anunciantes.