Matérias

Ford F-1, a primeira picape Ford Serie F

Entre os carros da coleção do empresário Franco Stedile está
a Ford F-1 de 1948, uma raridade entre os veículos utilitários

27/04/2016 Inegociáveis Carol Corso e Matheus Huff Bruna Bueno

É incomum encontrar automóveis clássicos em bom estado de conservação. Sem contar quando estas relíquias são nada mais nada menos do que picapes. Estes modelos de automotores foram criados especialmente para o trabalho agrícola. Por isto, força e durabilidade são características basais nesta caminhonete.

O empresário e colecionador Franco Stedile aprecia o valor destas máquinas. Tanto que não hesitou em adquirir uma Ford F-1 quando encontrou esta em ótimo estado de conservação em uma feira em Águas de Lindóia, no estado de São Paulo.

– É uma caminhonete utilitária muito rara, construída para trabalho em fazenda, no campo. Portanto é complicado encontrar um exemplar dela bem preservado. Então decidi adquiri-la para complementar a coleção – argumenta Stedile.

Conforme o site da Ford, a picape F-1 faz parte da primeira leva de veículos da série lançada em 1948. O modelo foi um dos primeiros veículos totalmente novos após a II Guerra Mundial e tornou-se um clássico da linha de veículos utilitários. O modelo F-1 veio com a promessa de ser um carro confortável e muito bem construído para, assim, durar muito mais tempo. Hoje esta série especial já completa 68 anos.

“É uma caminhonete utilitária muito rara, construída para trabalho em fazenda, no campo. Portanto é complicado encontrar um exemplar dela bem preservado”
Franco Stédile

A F-1 de Franco Stédile ostenta a parte exterior e interior do automóvel como o modelo original. Já a mecânica foi alterada. O motor funciona a diesel e o sistema de freios agregou algumas benfeitorias. Mesmo com poucas modificações realizadas, a picape do colecionador não pode expor a famigerada placa preta, identificação que representa a originalidade de um clássico antigo com mais de 30 anos.

– Após a compra foram feitas algumas melhorias mecânicas, mas nada além disto. A aparência está intacta. Foi melhorado o sistema de freios para aperfeiçoar a segurança em viagens- explica o empresário.

Há uma história engraçada que aconteceu com José Luis Nunes, o Zé Cruzeta, restaurador responsável pela manutenção dos carros de Stedile. Foi ele quem trouxe o Ford F-1 de São Paulo a Vacaria. Na vinda a barra de direção do volante quebrou. Então Zé teve que “dar uma de McGyver”, tentando encaixar a estrutura novamente. O SOS dos pedágios ofereceu escolta a Nunes para chegar até a cidade mais próxima e consertar o problema.

COMENTÁRIOS



Últimas

Mais fortes que o câncer Especiais

Edson Benedet Publieditoriais

Talento nato Artistas

Casa Blanca Publieditoriais

Expedição: Hungria Expedição



Caieruff

O conteúdo das ofertas é de responsabilidade exclusiva de seus anunciantes.