Matérias

Expedição: Espanha

Tiago Sutil morou um ano na Espanha e pode conhecer diversos outros países da Europa nesse período longe de casa

01/03/2018 Expedição Carolina Padilha Alves Tiago Sutil

O país das touradas

Tiago, com apenas vinte e dois anos, decidiu fazer dois semestres de seu curso de Sistemas de Informação na Espanha. Partindo em agosto de 2012, o vacariano escolheu o país em função da proximidade que a língua espanhola tem com o português, o que facilitaria sua estadia, já que seu inglês não era fluente para se inscrever na bolsa de estudos para outros locais. “Me inscrevi para a universidade de Valência, litoral do país, para unir o útil ao agradável, já que meu sonho sempre foi morar na praia. Só acreditei que realmente aquilo estava acontecendo na minha vida quando entrei no avião”, relembra Tiago.

Segundo o viajante, as peculiaridades espanholas que mais o chamou atenção, foram:

  • Trânsito: se você mostrar intenção de atravessar uma faixa de segurança sem semáforo, os carros param abruptamente para você passar. A polícia notifica as pessoas que se recusaram a utilizar a faixa de pedestres.

  • Comida: a carne tem um gosto muito raro e são consumidos tipos específicos, como terneiro, porco, frango, coelho e peru. Um pedaço de carne de gado da forma que conhecemos no Brasil, só importada da Holanda e custando muito caro. Os bolos são substituídos por cheesecakes. Ao meio dia é ingerido apenas um lanche mais simples e o almoço só é feito lá pelas 14h ou 15h.

  • Hábito de fumar: em sua maioria, o fumante confecciona o próprio cigarro e o índice de menores de idade fumantes é gigantesco.

  • Botellón: reunião que os jovens fazem antes de irem para alguma festa. Em tradução livre significa “garrafa grande” e o encontro é marcado para que os amigos bebam bastante antes de chegarem na balada. Por isso é comum encontrar turcos pelas praças a noite oferecendo cerveja em uma sacola de supermercado.

  • Estrutura da universidade: contando com livros atuais sobre vários conteúdos, maquinário necessário para desenvolver as atividades, professores capacitados e empresários de sucesso, cada um em sua área de atuação e a capacidade de expandir os conhecimentos de um curso em específico para outros, aumentando o leque de possibilidades. No caso de Tiago, por exemplo, o curso de Sistemas de Informação abrangeu fotografia,  designer gráfico, prototipagem em 3d, publicidade e marketing.

Opções de passeio e locais maravilhosos para se conhecer, não faltam. Tiago destaca, em Valência, a Cidade das Artes e das Ciências, o mercado central, repleto de artigos típicos e alimentos frescos, a cidade velha com suas grandes torres e a linda catedral, além de uma comemoração chamada “Fallas”, onde se fazem enormes bonecos, com os mais diferenciados temas por todas as esquinas da cidade. Ao final da noite acontece uma chuva de fogos de artifício e no último dia de festa é elegida a melhor obra de arte que futuramente é posta em um museu.

A grande atração da Espanha, como todos sabem, são as touradas. Porém, para o nosso conterrâneo elas não são tão legais assim. “Não recomendo gastar tempo com touradas, pois são entediantes e o coitado do touro é perfurado a todo momento. O que a torcida deseja é que o touro pegue o toureiro, porém isso nunca se realiza. Outra variação das touradas que os espanhóis fazem é uma arena com grades largas. Nessa arena eles soltam um touro, e qualquer um que quiser entrar e correr do animal, sinta-se à vontade. Minha dica é: nunca acompanhe esse “esporte” bebendo, pois vai que você se emociona e também quer participar da brincadeira”, diz Tiago.

Dividindo seu tempo entre estudos e viagens, Tiago conseguiu visitar dezessete países nesse período que esteve fora, e comenta que, entre tudo o que presenciou, o que ele gostaria que fosse igual em seu país e cidade são o transporte público eficiente, a limpeza das ruas e a exploração do verde em meio a selva de pedra. “Trazendo para a nossa realidade, uma pequena coisa que poderia ser implantada são as ciclovias e o aluguel de bicicletas em pontos chave da cidade. O Itaú já fez este incentivo em algumas capitais do Brasil”, opina Tiago.

Hoje, Tiago trabalha em sua área de formação, mora em Vacaria e comenta que não importa em que parte do mundo você vá, se você for uma pessoa agradável e alegre, as outras vão te receber bem. Sua bagagem cultural é enorme, devido sua vivência fora do país e completa afirmando que a mudança sempre traz evolução. “Evoluir dói, mas vale a pena. Cruzei com pessoas que sempre estiveram dispostas a me ajudar e compartilhar experiências. Viajar é uma das melhores coisas que se pode fazer na vida”, encerra.

 

COMENTÁRIOS



Últimas

Do lixo, o sustento Especiais

Só a foto retém o tempo Empreendedorismo

Higiene e limpeza Publieditoriais

Para todos os gostos Publieditoriais

Uma caminhada de sucesso Publieditoriais



Caieruff

O conteúdo das ofertas é de responsabilidade exclusiva de seus anunciantes.