Matérias

Das pedras, o sucesso

Fundada por Geraldo Andreola, a primeira pedreira de Vacaria se instalou há quarenta anos e mudou o cenário econômico local

01/09/2018 Empreendedorismo Carolina Padilha Alves Tiago Sutil

Nos anos 70, Geraldo viajava de caminhão pela serra, e notou nessas estradas que a brita que chegava em nossa cidade era trazida de São Marcos. Foi então que nasceu a ideia de colocar um britador que fornecesse esse material aos vacarianos, instalando-se no local onde até hoje se encontra a empresa, no ano de 1978.

Ele, seus dois irmãos, Nelson e Devino, e seu filho mais velho Adroaldo (em memória), deram início à produção, arrendando as terras que mais tarde foram compradas, juntamente com os loteamentos ao redor. Na época, eram produzidos três mil metros cúbicos de brita por mês, com um trabalho totalmente manual, onde a perfuração das rochas era feito com um martelete e as pedras levadas até o britador em apenas duas caçambas pequenas.

Hoje com uma frota de nove caminhões, apenas para a entrega de materiais, vinte e quatro funcionários e um processo bastante automatizado, a Pedreira Vacaria produz mil e duzentos metros cúbicos por dia. Eduardo e sua irmã Rosane, outros dois filhos de Geraldo, são os atuais responsáveis pela administração da empresa e destacam que o empreendimento trouxe consigo o desenvolvimento de vários setores da sociedade vacariana.

“Comecei trabalhando aqui com meu pai aos quatorze anos, e presenciei outras fábricas, como concreteiras, lojas de materiais de construção, fábricas de canos e artefatos de cimento, construtoras, entre outros, se instalando na cidade. Temos orgulho em termos cooperado com esse crescimento empresarial da nossa comunidade”, comenta Eduardo.

A empresa familiar faz entregas para a toda a região, em cidades como Bom Jesus, São José dos Ausentes, Jaquirana, Esmeralda, Muitos Capões, etc. No local da sede, estima-se que ainda tenha trinta anos de exploração pela frente. Para garantir, a pedreira adquiriu outro local, onde a estimativa é de trezentos anos de exploração.

“Para aqueles que trabalham honestamente, fazendo esforço para atingir os objetivos, com certeza permanecerão no mercado, por mais que existam altos e baixos na trajetória. Os aventureiros nunca ficam”, diz Eduardo.

A pedreira procura comprar tudo o que precisa em Vacaria, trazendo de fora  somente o que não é comercializado na cidade como os explosivos utilizados na detonação das rochas, por exemplo. Geraldo, que completa oitenta e oito anos em Novembro, sente-se com a missão cumprida e confia que seus filhos irão levar o negócio adiante, que o custou muito suor e investimento.

 

COMENTÁRIOS




Caieruff

O conteúdo das ofertas é de responsabilidade exclusiva de seus anunciantes.