Matérias

Carrapatos: como deixá-los longe do seu cão

Os carrapatos trazem grande desconforto aos nossos cachorros e além da coceira, podem também transmitir doenças

01/10/2018 Artigos Juliana Campos de Barros

Eles são pequenos aracnídeos parasitas que necessitam de sangue para sobreviver e reproduzir. Eles sobem no animal, fixam-se na pele e podem transmitir doenças. Quando essa situação ocorre é preciso buscar tratamento o mais rápido possível.

O Carrapato Marrom do Cão (Rhipicephalus sanguineus), como é popularmente conhecido, não é nativo do Brasil. Ele possivelmente originou-se na África e foi introduzido no país durante o período da colonização, iniciada no século XVI.  Existem os carrapatos que vivem na vegetação, como o Carrapato-estrela (Amblyomma cajennense), por exemplo. Já o Carrapato Marrom do Cão é um carrapato de hábitos mais urbanos e prefere lugares altos e sem umidade, por isso o fato do nosso quintal ser cimentado não descarta a possibilidade da existência desse parasita.

Os carrapatos possuem um complexo ciclo de vida que inclui ovos, larvas, ninfas e adultos machos e fêmeas. A larva, as ninfas e os adultos precisam de sangue. Geralmente a fêmea adulta (aquela gordinha) é a que mais causa mordidas, já que é comum que os machos morram após a copulação.

Eles não voam e nem pulam como as pulgas e sim vão andando e se agarram no hospedeiro. Geralmente atacam no início da primavera até o fim do verão. Podem ser encontrados em todos os cantos, desde áreas urbanas à parques e se proliferam rapidamente no ambiente.  Como o carrapato se esconde em lugares altos, sempre devemos focar o tratamento ambiental nas paredes, batentes de portas e janelas, atrás dos quadros, embaixo de estrado de cama e nos muros do quintal. Se tratarmos somente o chão, não atingiremos todos seus esconderijos.

Alguns carrapatos podem transmitir doenças aos nossos cães e os sintomas e gravidade variam de acordo com a patogênese. As mais comuns são babesiose canina e erliquiose canina. É importante ressaltar que o cachorro não precisa estar infestado de carrapatos para adquirir a doença, às vezes, um único carrapato infectado que mordeu seu cachorro é o suficiente para transmitir a doença.

No Brasil ainda não existe tratamento preventivo contra as doenças do carrapato. Por isso é importante que você como dono mantenha seu cão o mais livre de carrapatos possível! No mercado pet existem diversos produtos para proteger seu amigo, consulte sempre um Médico Veterinário para escolher a melhor opção para o seu cachorro!

 

COMENTÁRIOS



Últimas

Hot Rod de pai pra filho Inegociáveis

A riqueza da carne vermelha Receitas

Um novo olhar Publieditoriais

Deu samba Artistas

Tecnologia em impressão digital Publieditoriais



Caieruff

O conteúdo das ofertas é de responsabilidade exclusiva de seus anunciantes.