Matérias

Câncer de pele em cães

O verão chegou e trouxe com ele as altas temperaturas. Nós sofremos bastante com os dias quentes e abafados, principalmente quem fica exposto por horas ao sol. No entanto, não é apenas nós que temos dificuldades para aguentar o calor, os cães também passam por esta situação

01/01/2018 Artigos Toca das Patas

O câncer de pele canino é mais comum em animais que passam muito tempo expostos ao sol.  Outro fator importante a considerar é o das raças: há algumas mais propensas a sofrerem com esta doença. A causa principal do câncer de pele em cães é a exposição excessiva aos raios UV.

O tipo de raça tem muita influência. Os cães como os terriers, o pequinês, o boxer e os dálmatas parecem ser mais propensos a esta doença, e o mesmo ocorre com os bull terriers e poodles, entre outros. Existem diversos tipos de câncer de pele nos caninos, e depende da célula que originar a doença. Os mais comuns são o Mastocitoma, Carcinoma Espinocelular e Carcinoma das Células Escamosas.

Por isso, procure passear com seu cão antes das 9:00 horas  e depois das 18:00 horas. Isso reduz o risco de insolação, especialmente para cães que estejam acima do peso. Lembre-se que seu cão está mais próximo do chão que você, por isso ele acaba sentindo muito mais calor, recebendo todo o aquecimento que vem do chão/asfalto.

É imprescindível manter o cão sempre hidratado nesses dias quentes, prevenindo problemas de saúde. Dentro de casa o acesso à água é fácil, então mantenha o recipiente do animal cheio e troque o líquido regularmente, para que sempre esteja fresco.

Em situações onde o animal estará muito tempo exposto ao sol, deve ser aplicado nele o protetor solar (existe no mercado pet protetor solar específico para cães e gatos), sobretudo no nariz, orelhas e extremidades, já que estas regiões são mais propensas ao desenvolvimento do câncer.

Autora: Caroline Pontalti -  Proprietária da Toca das Patas.

 

COMENTÁRIOS




Caieruff

O conteúdo das ofertas é de responsabilidade exclusiva de seus anunciantes.