Matérias

Uma cidade mais expressiva

As obras saem do ateliê e atingem as ruas,
dando voz à arte urbana nos espaços de Vacaria

11/12/2015 Artigos Carol Corso e Matheus Huff Bruna Bueno

A arte do grafite, muitas vezes rica em detalhes e técnicas, é uma forma de expressão originada das ruas. Artistas brasileiros como Os gêmeos e Eduardo Kobra, por exemplo, são referência no cenário da Arte Urbana, com obras espalhadas em cidades dos Estados Unidos, Inglaterra, Alemanha, Itália, Portugal e outros.

Vacaria inicia este movimento, mesmo timidamente. Alguns projetos já são desenvolvidos para incentivar esta arte. Adriana Andreola, presidente do Atelier Livre Asvaal, explica que o grafite ocupou literalmente o espaço da rua, como forma de manifestação artística, tornando-se uma arte democrática, pois está presente em diversas partes: nas paredes, muros, viadutos e túneis, transformando o cenário urbano.

- Hoje, a sociedade oferece novos lugares para que a arte se manifeste e esteja mais próxima do público. Ela sai da galeria ou do museu e vai para a rua, instigando a curiosidade, o interesse e a reflexão das pessoas- argumenta Adriana.

Estímulos para que esta expressão artística siga fluindo ocorrem em iniciativas no Atelier Livre Asvaal. O Projeto Street Art Graffiti- organizado pelo Centro de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (CEDEDICA) e o Atelier Livre Asvaal- realiza desde maio oficinas de grafite. Este trabalho conta com aulas teóricas e práticas sobre a técnica e já agregou a participação de artistas como o DJ e MC David Alves- Dinoia e o BBoy Mairon Sagaz, proporcionando não só a arte visual aos estudantes, mas também a música e a dança das ruas.

“Foi um misto de artes, o programa envolve a linguagem da rua. Há uma comunicação 'olho no olho'”
destaca Adriana

O grafiteiro Lucas Castilhos é quem orienta as aulas, que ocorrem todas as quartas-feiras no Atelier, e ajuda na execução das obras dos alunos. O artista, que cresceu em uma comunidade carente de Caxias do Sul, aprendeu o grafite em uma oficina tal como a que ministra:

-Alguns dos que hoje participam deste projeto já se envolveram em casos de pichação, mas o curso mudou a visão dessa gurizada- conta Lucas.

Segundo Eliane Risson Santos, presidente do CEDEDICA, até dezembro serão finalizados mais cinco espaços grafitados em outros pontos da cidade:

-Até agora três painéis já foram concluídos pela cidade e podem ser conferidos na rua XV de Novembro, no muro da Corsan; na rua Villa Lobos, espaço Ministério Público e na rua Borges de Medeiros, em um espaço residencial- informa Eliane. Outro projeto em desenvolvimento pelo Atelier Livre Asvaal é o Arte Urbana – Humanizando o Espaço Público, que realizará intervenções urbanas usando a técnica do grafite em caçambas de entulho. Depois de prontas, elas serão normalmente utilizadas pela população e, ao mesmo tempo, mostradas em local público.

-O projeto se desenvolve através de aulas teóricas com a mediação de um professor de arte e aulas práticas com a orientação de um grafiteiro. Nas aulas teóricas são feitos estudos de desenho e pintura para as caçambas e as aulas práticas resultam na pintura de dez caçambas- esclarece Adriane Andreola.

O TRABALHO DAS ESCOLAS NOS ESPAÇOS DA CIDADE

Em Vacaria algumas intervenções artísticas também são organizadas por instituições de ensino, como a Escola Gustavo Vieira de Brito, em que os alunos pintam muros pela cidade. A proposta da escola objetiva dar mais cor, arte e vida aos moradores, levando mensagens positivas, inspiração e reflexão a comunidade.

Segundo a diretora da instituição, Luciana Brito - o projeto é um desafio interdisciplinar que permite os alunos expressarem seu olhar sobre o mundo ao mesmo tempo em que interagem com a comunidade, espalhando uma nova visão nos espaços por onde circulam as pessoas.

Por mais que a pichação e o grafite sejam convergentes pelo contexto social, há diferenças entre uma manifestação e outra. As duas são expressões urbanas, mas o grafite trabalha a linguagem visual, o desenho e a forma, enquanto a pichação apropria-se de um espaço sem permissão. Ela é ilegal, e diversas vezes, via de comunicação entre gangues. Em Vacaria foi sancionada uma lei municipal em que estabelecimentos comerciais só poderão vender sprays de tinta mediante ao preenchimento de formulário com nome, CPF ou CNPJ, endereço do comprador e apresentação de cópia do comprovante de residência. O projeto do presidente da câmara de vereadores de Vacaria Alessandro Dalla Santa Andrade (PSB), visa – complementar, com a exigência do cadastro, uma lei federal que já proíbe a venda para menores de 18 anos. A atitude tenta diminuir a incidência de pichações na cidade- explica o vereador.

COMENTÁRIOS



Últimas

Mais fortes que o câncer Especiais

Edson Benedet Publieditoriais

Talento nato Artistas

Casa Blanca Publieditoriais

Expedição: Hungria Expedição



Caieruff

O conteúdo das ofertas é de responsabilidade exclusiva de seus anunciantes.