Matérias

Amigos de quatro patas, asas ou nadadeiras

Eles nos esperam na porta. Conhecem nossas manias e são especialistas em carinho e amor incondicional. Os animais de estimação conquistam espaço na casa, na família e impulsionam o mercado pet.

01/06/2015 Artigos Carol Corso e Matheus Huff Yhuri Rossi

O Brasil possui a segunda maior população de cães, gatos e aves canoras e ornamentais no mundo e é o quarto maior país em população total de animais de estimação. De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de produtos para animais de estimação (Abinpet) o setor teve um crescimento de 7,4% entre 2014 e 2015 e um rendimento total de R$ 16,7 bilhões de reais neste período.

A veterinária Jaqueline Zanatta, da clínica veterinária Estimação, em Vacaria, estima que, durante nossa vida, é possível ter de quatro a seis bichos de companhia. Um cachorro ou um gato, por exemplo, podem viver entre 15 a 20 anos, se bem tratados. Mas para que isto aconteça, a profissional lembra que, além de amor e carinho, é preciso cuidar da saúde, higiene e segurança do animal.

Vacinas de boa qualidade são importantes para manter em dia a saúde do pet. Da mesma forma, a alimentação deve prover todos os nutrientes e o espaço onde o bichinho estiver deve ser limpo com frequência. Quem vive em lugares altos também precisa instalar redes de proteção nas janelas e escadas para evitar acidentes. Jaqueline afirma que os animais domésticos trazem muitos benefícios para o convívio familiar:

“Além da companhia e o bem-estar, eles ensinam as crianças a serem responsáveis” afirma Jaqueline

Basicamente o limitante para ter um animal de estimação é o espaço e o tempo. A escolha do bichinho pode variar de acordo com o ambiente e disponibilidade de convivência que o dono terá. Cães geralmente precisam passear, por isto é importante dispor algum momento para uma voltinha com eles.

A veterinária ainda lembra a importância da castração. Esta cirurgia evita que mais cães e gatos sejam abandonados nas ruas. Além disto, é uma questão de saúde pública. Em alguns casos, o procedimento também é indicado para evitar problemas de saúde, tanto para machos quanto para fêmeas.

PETS EM NÚMEROS

O Brasil apresenta a segunda maior população de cães, gatos e aves canoras e ornamentais do mundo e é o quarto país em população total de animais de estimação. Segundo dados da Abinpet, são 52,2 milhões de cães; 37,9 milhões de aves; 22,1 milhões de gatos; 18 milhões de peixes e mais 2,2 milhões de outros animais. O total é de 132,4 milhões de pets.

Deste total, a Região Sul possui 19% do número de felinos, 23% dos cães, 21% das aves e 20% dos peixes ornamentais. São Paulo é o estado com mais cachorros, com mais de 10,5 milhões. Em seguida está Minas Gerais, com quase 6 milhões e o Rio Grande do Sul, em terceiro lugar, com cerca de 5,2 milhões.

De acordo com a Abinpet, 65% das casas brasileiras em áreas rurais têm, pelo menos, um cão, enquanto que a proporção de domicílios com um cachorro na zona urbana fica em 41%.

Em Vacaria há 15 estabelecimentos veterinários que oferecem serviços clínicos, banhos, tosas e pet shops.

EU TENHO UM...

Cachorro: A professora Jéssica Pereira e o proprietário de empresa de transportes Diego Bortolotto moram em um apartamento e há três anos resolveram adotar Otto, um cachorro que apareceu em uma rua ainda filhote em um dia frio e chuvoso. No início, o casal não tinha intenção de permanecer com o bichinho, mas Otto acabou conquistando seu espaço.

– O Otto demonstra nos amar independente de como estamos, do que possuímos, sem exigir nada. Ele está sempre disposto a brincar, a passear e ganhar carinho. Há apenas a simplicidade de viver da melhor forma possível e ser feliz. Talvez se todos fôssemos mais parecidos com nossos pets o mundo seria melhor – pensa Jéssica.

Uma cachorrinha e uma calopsita: A psicóloga Juliana Paim Lovato tem dois pets em seu apartamento: Dora, uma cadelinha maltes e Fred, uma calopsita macho. A ave nunca foi criada em gaiola, fica sempre solta andando pela casa. Dora e Fred brincam juntos e se dão muito bem.

Juliana não consegue imaginar sua vida sem eles, pois há muito amor e aprendizado no convívio com a dupla.

– Eu gostaria que as pessoas tivessem mais consciência com relação a adoção de animais. Eles não são descartáveis, sentem, sofrem e não sabem se defender sozinhos. É muito fácil comprar ou adotar um bicho, mas quando não querem mais, se desfazem, trocam por outros, isso quando não os deixam nas ruas. Mais amor, mais caridade e menos egoísmo. Isso aprendo com eles e procuro passar as pessoas – defende a psicóloga.

Um cachorro e um gato: Ivete Borghetti Alves tem o cãozinho Marley e o Mimi, um gatinho que apareceu no pátio de sua casa há três anos. No início, Marley e Mimi não se davam muito bem. Mas em pouco tempo, gato e cachorro já estavam brincando e dormindo juntos. Hoje são amigos fiéis, tanto que Marley defende Mimi de qualquer perigo que apareça.

A lição que Ivete e a família aprenderam com esta dupla foi o companheirismo:

– Eles são amigos da gente, criamos um vínculo como se fossem filhos. Eles só faltam falar. São um complemento, passam uma energia boa, um amparo e aconchego.

Recentemente a família de Ivete adotou mais uma integrante, a cadelinha Luli, encontrada abandonada em uma estrada.

Peixes: O tatuador Antonio Carlos Farat (Toninho), tem um aquário marinho há cinco meses. Por trabalhar em casa e com o público, Toninho não pode ter cães ou gatos, mas como sempre amou aquários, decidiu por ter um. O tatuador diz que os cuidados com um aquário marinho são um tanto mais complicados, já que a água não pode ser trocada e sim, limpa por meio de uma filtragem. Além disso, a iluminação do aquário utiliza lâmpadas LED para que os corais cresçam com todos seus tons de cores, detalhes que tornam este modelo um pouco mais caro.

– Devemos nos responsabilizar e dar a melhor qualidade de vida para nossos bichinhos. É o que eu faço com meu aquário. A interação com os peixes é muito legal. Muitas vezes eles comem na minha mão, me reconhecem, eu chego perto do aquário e eles se aproximam. São animais bem sociáveis – detalha Toninho.

COMENTÁRIOS



Últimas

Mais fortes que o câncer Especiais

Edson Benedet Publieditoriais

Talento nato Artistas

Casa Blanca Publieditoriais

Expedição: Hungria Expedição



Caieruff

O conteúdo das ofertas é de responsabilidade exclusiva de seus anunciantes.